terça-feira, 25 de abril de 2017

ESPECIAL - VIAGEM 2016 - EXPEDIÇÃO AO CENTRO DO IMPÉRIO INCA COM DENILSON DE SOUZA



Última atualização
Caminho para Machu Picchu, também chamada "cidade perdida dos Incas",


CLIQUE AQUI para ver mais fotos e informações do
ESPECIAL - VIAGEM 2016 -  EXPEDIÇÃO AO CENTRO DO IMPÉRIO INCA COM DENILSON DE SOUZA



Expedição Pouso Alegre - Machu Picchu 2016
Membros : Motta, Totica, Marcelo, Sandro e Randolfo de Pouso Alegre e Denilson de Souza de Santa Rita do Sapucaí.
Início 16 de maio de 2016

Texto de Denilson de Souza

Andreia De Souza Rosa


     O império Inca foi um Estado criado pela civilização inca,
resultado de uma sucessão de civilizações andinas e que se tornou o maior império da América pré-colombiana. A administração política e o centro de forças armadas do império ficavam localizados em Cusco (em quíchua, "Umbigo do Mundo"), no atual Peru. 

Oração para o início da Expedição

O império surgiu nas terras altas peruanas em algum momento do século XIII. De 1438 até 1533, os incas utilizaram vários métodos, da conquista militar à assimilação pacífica, para incorporar uma grande porção do oeste da América do Sul, centrado na Cordilheira dos Andes, incluindo grande parte do atual Equador e Peru, sul e oeste da Bolívia, noroeste da Argentina, norte do Chile e sul da 
Colômbia.


O império abrangia diversas nações e mais de 700 idiomas 
diferentes, sendo o mais falado o quíchua. Outro idioma que se 
destacava era a língua aimará, de uma das principais etnias 
componentes, os aimarás. Os conquistadores espanhóis liderados 
por Francisco Pizarro e seus irmãos exploraram o sul do Panamá, 
alcançando as terras incas em 1526. Ficou claro que eles haviam 
chegado em terras ricas, com grande chance de se achar grandes 
tesouros, e após mais uma expedição (1529), Pizarro foi a Espanha 
e recebeu aprovação real para conquistar a região e a transformar
em vice-reinado.

Almoço em Miranda - MS

Este documento foi recebido em detalhes na seguinte citação: 
"Em julho de 1529, a rainha da Espanha assinou uma carta permitindo a Pizarro conquistar os Incas. Pizarro foi nomeado governador e capitão de todas as conquistas no Peru, ou Nova Castela como a Espanha agora chama as terras".


No momento do retorno de Pizarro para o Peru, em 1532, a guerra entre os  dois filhos de Huayana Cápac gerando agitação nos territórios recém conquistados - e talvez mais importante, a varíola, que se espalhou pela América Central - tinham enfraquecido o império. Foi lamentável para os Incas que os Espanhóis chegassem bem no meio da guerra civil, alimentado ainda pela doença que precedeu a colonização europeia. Os cavaleiros espanhóis, totalmente blindados, tinham grande superioridade tecnológica 
sobre as forças incas.




Praça central de Santa Cruz de lá Sierra - Basílica Menor de San Lorenzo - Bolívia

     Pizarro não tinha uma grande força ao seu favor: apenas 168 homens, 1 canhão e 27 cavalos. Ele teve que várias vezes se esquivar de confrontos potenciais que poderiam eliminar por completo suas forças. As batalhas pelos Andes foi uma espécie de cerco de guerra onde um grande número de relutantes voluntários eram enviados para esmagar os opositores. 
Os Espanhóis contavam com melhor tecnologia e técnicas, que se desenvolveram após séculos de guerra contra os Mouros na península Ibérica. Além da superioridade tática e material, ainda acabaram adquirindo vários aliados entre os nativos que queriam ver o fim do domínio Inca sobre seus territórios.

Lago Titicaca - Cidade de Copacabana - Divisa Bolivia com o Peru

O primeiro confronto foi a Batalha de Puna, perto da atual Guayaquil, na costa do oceano Pacífico. Em seguida, Pizarro fundou a cidade de Piura, em julho de 1532. Hernando de Soto foi enviado para explorar o interior da ilha, e retornou com um convite para conhecer o Sapa Inca, Atahualpa, que derrotou seu irmão na guerra civil e estava descansando em Cajamarca com seu exército 
de 80.000 homens.

Igreja de Nossa Senhora de Copacabana, padroeira da Bolívia.

Pizarro e alguns homens, mais notavelmente um frade com o nome de Vicente de Valverde, se reuniram com o inca, que tinha trazido apenas uma pequena comitiva. Por meio de um intérprete, frei Vicente leu o "requerimento", que exigia que o Sapa Inca e o império deviam aceitar o jugo do rei Carlos I de Espanha e se converter ao cristianismo. Devido à barreira linguística, e talvez, a má interpretação, Atahualpa ficou um pouco intrigado com a descrição do frade da fé cristã e foi dito que não tinha entendido completamente a intenção do enviado.

Catedral de Cuzco (Plaza das Armas) - Cuzco - Peru

Depois de mais uma frustrada tentativa de Atahualpa entender a fé
cristã, os espanhóis ficaram impacientes e irritados e atacaram
a comitiva e capturaram Atahualpa como prisioneiro.
Atahualpa ofereceu aos espanhóis ouro suficiente para encher a sala em que ele foi preso, e duas vezes a mesma quantidade de prata. O inca satisfizera esse resgate, mas Pizarro alucinado, recusando-se depois a libertar o inca.



Mama África - Casa Noturna mais famosa de Cuzco - Peru , localizada na Plaza das Armas.




Durante a prisão de Atahualpa, Huascar seu irmão e opositor na guerra cível foi assassinado noutro local. Os espanhóis mantiveram isso como se fosse ordens do próprio Atahualpa, o que foi utilizado como uma das acusações contra Atahualpa quando os espanhóis finalmente decidiram condená-lo à morte, em agosto de 1533
além do principal motivo que foi a recusa em se converter ao catolicismo. Após esse fato, a Igreja Católica ordenou que fossem demolidos todos os templos em homenagem aos deuses Incas, Pachamama a deusa da natureza e deus sol. Por outro lado, os espanhóis queriam apenas o ouro e prata usada nas construções.


Fachada da Igreja Nossa Senhora de Copacabana, a padroeira da Bolívia ...

Quando falamos no Peru, logo nos vem a mente Machu Picchu. Evidentemente que existem diversas ruínas Incas, mas Machu Picchu não foi achada pelos espanhóis, o que fez dela um lugar onde não houve destruição pelos canhões espanhóis.
Em 1911, Hiram Bingham, um professor que a frente de uma expedição da universidade de Yale, através das margens do rio Urubanba, chegou até as ruinas de Machu Picchu, toda coberta de mato, arvores e cobras. Em seu diário ele escreveu Would anyone believe what I have found?" (Acreditará alguém no que
encontrei?)

(Plaza das Armas) - Cuzco - Peru, onde no centro fica a estátua de Pachacútec, o nono  e o mais importante dos Incas, que reinou de 1438 a 1471. Pachacútec foi o mais importante dos governantes cusquenhos e fundador do Império Inca, foi considerado o mais notável personagem do mundo pré-colombiano.

Resolvemos então, Eu, Motta, Totica, Marcelo, Sandro e Randolfo ir conhecer tudo isso, aliado as novas descobertas gastronômicas que iríamos conhecer pelo caminho... e claro, aproveitamos para ir de moto!
Nossa aventura começou no dia 16 de maio. Partimos em direção a Três Lagoas – MS, apenas um pernoite e no dia seguinte, rumo a Corumbá – MS. No dia seguinte fomos para a fronteira com a Bolívia, documentação nossa, depois das motos e depois autorização da Polícia Boliviana, e depois de tanta burocracia, enfim, as 12:40 partimos para Santa Cruz de La Sierra.

A caminho de Machu Picchu, também chamada "cidade perdida dos Incas", é uma cidade pré-colombiana bem conservada, localizada no topo de uma montanha, a 2400 metros de altitude, no vale
do rio Urubamba, atual Peru.



CLIQUE AQUI para ir para a página inicial do
FRED CUNHA NEWS

Nenhum comentário:

Postar um comentário