segunda-feira, 14 de agosto de 2017

MOTOS DOS ANOS 80 - CB 400



Lançada no Brasil em junho de 1980 pela Honda

     Foi com euforia que os brasileiros receberam, no início de 1980, a notícia de que seria produzida aqui, embora com baixo índice de nacionalização, apenas 15% em valor, até então era apenas disponível a importada CB 400 Four, que era provida de quatro cilindros com duas válvulas em cada.

CLIQUE AQUI para mais informações e fotos ....



     Porém a CB400 oferece um desempenho superior quando exigido. Do contrário é uma motocicleta muito macia, estável e confiável, possuí bons sistema de freios. A estabilidade se dá pelas rodas de grande aro, que garantem um efeito giroscópico maior fazendo com que ela se equilibre melhor e "filtre" melhor as imperfeições da pista, porém exige uma maior experiência do piloto para curvas fechadas e manobras específicas.

     Na época do lançamento, em junho de 1980, a produção daquele ano já estava vendida. Derivada do modelo de dois cilindros vendida na Europa e nos Estados Unidos (alguns mercados recebiam também a 400F, de quatro cilindros), era uma estradeira moderna, com certa esportividade e desempenho incomparável no mercado da época.

     O motor de dois cilindros paralelos a quatro tempos, com refrigeração a ar e dois carburadores de 32 mm, trazia a novidade das três válvulas por cilindro, duas para admissão e uma para escapamento. 
O comando de válvulas era único, acionado por corrente, e havia duas árvores de balanceamento para anular vibrações.




     A potência de 40 cv a 9.500 rpm, superava as pequenas motos que o mercado oferecia na época. Com torque máximo de 3,2 m.kgf a 8.000 rpm, o desempenho atendia bem a qualquer necessidade: velocidade máxima próxima a 160 km/h e aceleração de 0 a 100 km/h em cerca de 7 s.


     Além de rápida, a CB 400 oferecia conforto, um banco largo, suspensões macias, partida elétrica (mantendo o pedal de partida, para eventual necessidade), afogador junto ao painel em vez de próximo ao carburador, baixo nível de ruídos e vibrações. Não havia nada parecido para as viagens ou mesmo um uso urbano tranqüilo, em que o torque elevado dispensava reduções freqüentes entre as seis marchas.






www.fredcunhanews.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário